segunda-feira, 13 de outubro de 2008

O juiz de paz na roça

Estas são as fotos do teatro apresentado pelo grupo do projeto Motivar para mudar. Eles apresentaram a peça O juiz de paz na roça, escrita no século XIX por Martins Pena.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Grupo de Teatro

Gostaria de compartilhar as fotos de nosso grupo de teatro do projeto Motivar para mudar em nossa escola. Os alunos encenaram a peça infantil O misterioso sumiço de Feiurinha, foi simplesmente um sucesso.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Folclore brasileiro

Olá, pessoal, está chegando o dia do folclore, 22 de agosto, é sempre bom fazer algumas atividades com as crianças durante a semana. Selecionei algumas lendas para trabalhar com meus alunos do ciclo I. Todo dia contava uma lenda, eles gostaram muito! O interessante é que eles têm sempre um "causo" para contar sobre essas lendas e, apesar de falarmos que Curupira, Boto, Matinta Perera, Lobisomem, Saci, etc, são apenas lendas, eles acreditam piamente que existem de verdade. Aqui vão algumas lendas que as crianças adoram ouvir:

O Boto
Quem viaja pelo interior de qualquer estado da Amazônia já ouviu falar da lenda de um belo rapaz desconhecido, de roupas brancas, sapatos brancos e o característico chapéu branco que busca encobrir parte do rosto e o buraco que traz no alto da cabeça: é o boto! Nas festas ou à beira de trapiches, sempre haverá, segundo a crendice popular, um boto a espreitar alguma moça ingênua e, de preferência, virgem ou menstruada. Alguns descrevem até o andar da visagem: dizem que é meio desajeitado e que muitas vezes locomove-se com certa dificuldade pelo pouco hábito em terra firme. Outros já o descrevem como alguém muito alinhado, porém calado demais para os costumes da região. Por isso, logo se desconfia de que é algo sinistro. No entanto, para as moças novas que porventura estejam a olhar alguma festa de interior, nada de estranho o boto lhe parece. Muito pelo contrário! A paixão é à primeira vista! Quando se dão conta já foram conquistadas. Contam os caboclos que depois que o Boto consegue o que quer, ou seja, conquistar a moça escolhida, sai na carreira e se joga no primeiro braço de rio ou igarapé. Nessa hora é que todos se dão conta de que não era um rapaz qualquer, mas o boto!

O Curupira

O de estatura baixa, cabelos cor de fogo e pés com calcanhares para frente que confundem os caçadores. Dizem que o Curupira gosta de sentar na sobra das mangueiras para comer os frutos. Lá fica entretido ao deliciar cada manga. Mas se percebe que é observado, o Curupira logo sai correndo, e numa velocidade tão grande que a visão humana não consegue acompanhar. "Não adianta correr atrás de um Curupira", dizem os caboclos, "porque não há quem o alcance".

O Curupira tem a função de proteger a mata e seus habitantes, inclusive pune quem os agride. Há muitos casos também de Curupiras que se encantam por crianças pequenas, que são levadas embora por algum tempo e depois devolvidas aos pais, em geral depois de 7 anos.

As crianças encantadas pelo Curupira nunca voltam a ser as mesmas depois de terem vivido na floresta, encantadas pela visagem.

Muito traquino, o Curupira também pode encantar adultos. Em muitos casos contados, o Curupira mundia os caçadores que se aventuram a permanecer no mato nas chamadas horas mortas. O encantado tenta sair da mata, mas não consegue. Surpreende-se passando sempre pelos mesmos locais e percebe que está na verdade andando em círculos. Em algum lugar bem próximo, o Curupira está lhe observando: "estou sendo mundiado pelo Curupira", pensa o encantado.

Daí só resta uma alternativa: parar de andar, pegar um pedaço de cipó e fazer dele uma bolinha. Deve-se tecer o cipó muito bem escondendo a ponta, de forma que seja muito difícil desenrolar o novelo. Depois disso, a pessoa deve jogar a pequena bola bem longe e gritar: "quero ver tu achares a ponta". A pessoa mundiada deve aguarda um pouco para recomeçar a tentativa de sair da mata.

Diz a lenda que, de tão curioso, o Curupira não resiste ao novelo. Senta e fica lá entretido tentando desenrolar a bola de cipó para achar a ponta. Vira a bola de um lado, de outro e acaba se esquecendo da pessoa de quem malinou. Dessa forma, desfaz-se o encanto e a pessoa consegue encontrar o caminho de casa.

Outras lendas você pode encontrar nos links abaixo:

http://www.amazonia.com.br/folclore




sábado, 16 de agosto de 2008

Novo Blog

Oi, pessoal, passei um tempinho sem postar nada, é que eu ainda estou estudando e aprendendo, mas agora vou tentar postar sempre alguma coisa para compartilharmos. Para facilitar nossa aprendizagem resolvi criar outro blog para interagirmos sobre o tema Informática na sala de aula e, este blog, ficará somente para a temática de alfabetização e ensino fundamental, o que vocês acham? Assim as coisas não ficam tão misturadas. Aí vai o link de meu novo blog:

http://infolaboratorio.blogspot.com/

Espero que vocês gostem! Beijos

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Como ouvir a voz de Deus

Fuchsia Pickett

Você pode ter sua vida transformada pela presença de Deus se você tiver determinação em escutar a Sua voz.

1. Entre em sintonia com Deus. Quando buscar a Palavra de Deus, é importante que você esteja em sintonia com Ele para poder compreender a verdade que está sendo revelada. Você deve escutar espiritualmente e não com os ouvidos mundanos. Nicodemos foi um bom exemplo de homem que escutou unicamente com os ouvidos mundanos quando perguntou a Jesus como uma pessoa poderia nascer de novo no ventre de sua mãe.

2. Aprenda a ouvir. A incapacidade de ouvir é uma das causas básicas das dificuldades relacionais – tanto na terra como no céu. Embora Deus fale ao seu espírito, você precisa compreender o que Ele disse com sua mente e emoções e responder com sua vontade. Aqueles que se dispões a realmente ouvir ficarão espantados com o que vão de fato escutar.

3. Perceba Deus falando com você. Deus ama seu clamor a Ele. Na medida em que você aprende a arte de ouvir – crendo que Deus quer se comunicar com você pessoalmente – você irá escutar a voz de Deus e ser transformado por aquilo que ouvir ele dizer.
4. Cultive a quietude. Deus prometeu que se você se aquietar irá conhecê-lo (Sl. 46:10). Não há mais quietude do que a ausência de ruídos exteriores. Isso significa também cessar a agitação dos pensamentos, ambições, desejos insaciáveis, e motivações egoístas.

5. Medite na Palavra. Isso significa gastar tempo em refletir e ponderar sobre um versículo ou passagem das Escrituras. Isso ajuda você entender o modo de pensar de Deus, Seus princípios, e Sua atitude em relação ao pecado, bem como Seu amor pelo pecador. Você se tornará familiar com o vocabulário de Deus e aprenderá o que espera que você faça para agradá-Lo.

6. Faça perguntas para Deus. Em vez de perguntar aos outros o significado das Escrituras, vá direto ao Autor. Ele lhe dará entendimento – através de outros versículos – pelo poder de Seu Espírito Santo.

7. Predisponha-se a ouvir Deus falar. O crente cheio do Espírito tem o maior potencial para ouvir a voz de Deus. Ouvir é resultado de de um relacionamento cultivado com Deus.

8. Responda ao que você ouve. Após ouvir a Deus, é imperativo que você obedeça ao que Ele lhe disse. As Escrituras existem para ser obedecidas, e não apenas para serem objetos de meditação.

9. Busque confirmação. Se você sente que ganhou uma revelação especial pelas Escrituras, deve trazê-la a luz do julgamento de outros trechos na Palavra de Deus bem como por outros homens e mulheres de Deus que sabem como ouvir Sua voz.

10. Registre as Suas palavras. Uma vez tendo recebido palavra profética lembre-se o que Deus lhe prometeu e como lhe falou tais palavras.

Fuchsia Pickett é autora de The Next Move of God. Miraculosamenste curada de uma mortal deficiência genética em 1959, ela foi batizada e começou a pregar a Palavra de Deus ao redor do mundo. Convidada do The 700 Club, também escreve para a revista Charisma. Fuchsia possui dcutorado em teologia bem como em divindade.

Ser educadora

Recebi de uma amiga esta mensagem. É simplesmente maravilhosa, por isso quero compartilhar com vocês.
Ser educador é mesmo tudo isso e muito mais.
SER EDUCADORA...

Ser Educadora é ser artista, malabarista, pintora, escultora, doutora, musicóloga, psicóloga...
É ser mãe, pai, irmã, avó.
É ser palhaço, estilhaço, espantalho, bagaço...
É ser ciência e paciência...
É ser informação. É ser ação.
É ser bússola, é ser farol, É ser luz, é ser sol.
Incompreendida?... Muito.
Ser Educadora... É um vício ou vocação?
É outra coisa... É ter nas mãos o mundo de Amanhã.
Amanhã. As crianças vão-se...
E ela a mestre de mãos vazias fica com o coração partido.
Recebe novas turmas novos olhinhos ávidos de cultura.
E ela, a Educadora vai despejando com toda a ternura, o saber, a orientação nas cabecinhas novas, que amanhã luzirão no firmamento da Pátria.
Fica a saudade...
A amizade.
O pagamento real?
Só na eternidade.

Autor desconhecido

Primeiros comentários


Obrigada pelos comentários carinhosos. Vocês são demais!

terça-feira, 27 de maio de 2008

Atividades para alfabetização










Incentivando a leitura

Sei que já passou, mas não custa nada registrar o maravilhoso trabalho organizado pelos professores do Sílvio Nascimento" na semana do livro, principalmente a professora Sílvia (da sala de leitura) e o prof. Edson (de Artes). Estão de parabéns! Eis algumas fotos de meus alunos que participaram do musical "Lindo balão azul". Ficaram fofos!

Incentivar a leitura entre as crianças foi o nosso objetivo maior. Pela animação da turma, acredito que conseguimos!


Reflexão


A carpintaria

Era uma vez uma carpintaria onde as ferramentas resolveram realizar uma assembléia. Elas tinham umas diferenças e queriam por tudo em pratos limpos.
O martelo assumiu a presidência. Entretanto, ele foi notificado que teria que renunciar porque ele (toc, toc, toc) fazia muito barulho. O martelo aceitou, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, porque ele tinha que dar muitas voltas para que servisse para alguma coisa. O parafuso acatou a decisão, mas exigiu que a lixa também saísse. A lixa era muito áspera e sempre causava muitos atritos. Mas a condição para a lixa sair era que também fosse expulso o metro, que ficava medindo todo mundo como se só ele fosse perfeito!
Nisso chegou o carpinteiro e utilizando o martelo, o metro, a lixa e o parafuso, finalmente transformou a madeira num lindo móvel.
Quando a carpintaria ficou completamente só, a assembléia recomeçou. Foi então que o serrote pediu a palavra: “Senhoras e senhores”, disse ele, “Parece que ficou demonstrado que todos nós temos defeitos, entretanto o carpinteiro, quando trabalha, utiliza as nossas qualidades. E é isso que nos faz valiosos. Assim temos que deixar de lado os nossos pontos negativos e nos concentrar nos nossos pontos positivos”.
A assembléia então concluiu que o martelo era forte, que o parafuso unia e dava força, que a lixa aparava as arestas e o metro era preciso e exato.
Sentiram-se então uma equipe capaz! E todos ficaram felizes.





Adorei este texto! É mais interessante ainda porque lembra muito o conto de Machado de Assis " Um apólogo". É um texto muito bom para iniciar um trabalho em equipe na escola com alunos do fundamental e do médio.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Bem-vindos ao meu blog!


Olá, pessoal, este é um espaço de aprendizagem. Meu objetivo ao criá-lo foi promover a construção do conhecimento através de trocas de experiências, de sugestões, de idéias, enfim, de tudo que acharmos interessante para nosso crescimento. Estou muito animada porque estou assumindo a sala de informática da escola estadual em que trabalho, porém ainda não tenho muita experiência nessa área, apesar de ter pós-graduação em informática educativa, por isso espero poder contar com a ajuda de vocês para que possa fazer um bom trabalho com meus alunos.
Sou professora de Língua Portuguesa, área emque tenho bastante experiência e, trabalho, também, com o Ensino Fundamental, no 2 ano do ciclo I, em uma escola municipal.
Agradeço a todos que visitarem este espaço e espero poder ajudá-los, também, em tudo que estiver ao meu alcance. Vamos ter muito o que aprender juntos.